Nuvem: O reconhecimento pelo aprendizado

*Por Maurício Fernandes 

Por trás da recente conquista da Dedalus, de ser reconhecida pela Amazon Web Services pela capacidade em fazer a migração de ambientes para a nuvem da AWS, há uma história interessante. 

Eu lembro, e não faz tanto tempo assim, quando se vendia a facilidade de criar máquinas na nuvem. Dois cliques e seu servidor estava rodando. Mais dois, ele era um servidor Apache ou Magento. Que maravilha. O tempo mostrou que a nuvem jamais eliminou a necessidade de seres humanos. Tornou nosso trabalho mais nobre, mais inteligente, mais voltado para o negócio. Mas dos dois lados da mesa, de quem usa e de quem opera, precisa ter gente que entende do que faz. Afinal, criar ambientes complexos e geri-los com segurança, otimização e controle é para seres humanos. 

Migrar para a nuvem é uma viagem diferente: você sabe onde vai chegar embora de perto tudo seja um pouco diferente do que pensávamos. Mas você não sabe de onde está saindo. Sempre há detalhes. E detalhes, você sabe quem gosta. 

Nestes seis anos intensos com a AWS e com todas as nuvens que fazem parte de nossa oferta como um Cloud Services Broker, nosso aprendizado foi enorme. Quando eu me lembro das primeiras migrações, dos erros e surpresas que enfrentamos, vejo o quanto nós crescemos e quanto o mercado confia em nós e no conceito. Pois em 2010 o desafio era subir um sitezinho. Hoje é um ERP, uma loja inteira, ou um datacenter inteiro. E, embora ainda estejamos aprendendo – afinal a tecnologia e o amadurecimento mudam a cada instante – podemos dizer, tranquilamente, que merecemos este reconhecimento da AWS e do mercado. 

Atualmente, devemos ter mais de 30 projetos na fase de “deploy”, que é a migração. Ali tem de tudo. E nosso time, que inclui não somente especialistas de tecnologia, mas gerentes de projetos e todo um time de apoio, se acostumou a tratar da complexidade como parte do cotidiano. Uma conquista que sempre faço questão de apresentar a nossos clientes como motivação de um movimento ao qual eles devem participar. 

E é engrandecedor quando, como aconteceu na semana passada em Curitiba, um cliente notadamente dominador de tecnologia, fala: “Eu preciso tocar o negócio. Meu conhecimento é mais importante ali e eu preciso que alguém faça a gestão dessas nuvens para mim”. Muito bom acompanhar este amadurecimento dos profissionais de TI, da Dedalus e da tecnologia de nuvem. 

Ainda pensando em como computação na nuvem se tornou algo comum, sugiro que leiam o artigo onde comentamos o posicionamento do Gartner sobre a indústria de software, sugerindo que em breve será estranho rodar um sistema de software em algum lugar que não seja a nuvem. Incrível ler as proféticas palavras do Gartner, olhar em volta e ver o trabalho que será para todos nós, obviamente, em especial aos que desenvolvem software, a fazer esta mudança. E a Dedalus estará aqui para ajudar nisso também. 

Boa leitura. 

Posts mais lidos

Microsoft Viva Insights: como melhorar sua gestão pessoal?

O Microsoft Viva Insights fornece, basicamente, algumas informações pessoais sobre dois fatores de extrema importância na gestão pessoal: o seu tempo e a sua produtividade. Ou seja, ele ajuda as pessoas a entenderem como gastam seu tempo e com que o gastam. Com ele, você pode ver – e gerenciar – como gastou seu tempo […]

Gestão de equipes: ajude o seu time a prosperar com o Microsoft Viva

Você já ouviu falar no Microsoft Viva para Gestão de Equipes? Para aqueles que ainda não conhecem, o Viva é uma plataforma de gestão de equipes e experiência de colaboradores, baseado na Microsoft 365 e usado no Microsoft Teams. Além disso, ele reúne comunicações, conhecimentos, aprendizados, recursos e insights para otimizar o fluxo de trabalho. […]

Segurança de dados e mercado de e-Learning: qual a relação?

Com o distanciamento social causado pela pandemia do coronavírus, as edtechs e o mercado de e-Learning, como um todo, tiveram um crescimento acelerado, sobretudo nos dois últimos anos. Mas, a boa notícia é que essa tendência de educação à distância deve continuar em alta, em ambos os segmentos, mesmo agora no pós-pandemia. Pelo menos, é […]

Assine a Newsletter