Soluções de governança de custos em nuvem garantem melhor proveito da tecnologia e controle financeiro

Quando falamos em projetos de migração para a nuvem, agilidade, flexibilidade, disponibilidade e custos por demanda são alguns dos benefícios esperados. Mas para se obter todas as vantagens que a tecnologia pode oferecer, é necessário gerir melhor os recursos na área de TI e otimizar seu uso.

Uma das principais estratégias está diretamente relacionada à gestão eficiente de custos. Afinal, por meio da governança é possível ter visibilidade dos investimentos, evitar desperdício e gerar uma economia expressiva.

Uma pesquisa realizada pela 451 Research com 300 líderes financeiros e de TI em todo o mundo, mostrou que 80% deles acreditam que falhas na gestão financeira da nuvem trouxe prejuízos para o negócio. Mais de 57% dos entrevistados se dizem preocupados com o gerenciamento de custos da nuvem.

“O controle de custos ou governança de custos em nuvem ainda é um desafio para as empresas de modo geral, primeiramente por relacionarem apenas questões financeiras e não o custo do projeto como um todo. Muitas empresas acreditam que a tecnologia é a chave para impulsionar o sucesso na nuvem. Mas se não houver um rígido controle de custos, o projeto pode se tornar um grande vilão e inviabilizar o avanço da empresa. Por isso, é importante responder a algumas perguntas: Avaliamos custos ao selecionar soluções? Dimensionamos os recursos corretamente? Selecionamos o modelo de precificação adequado? Garantimos que a performance corresponda, mas não exceda o que precisamos? Se alguma dessas respostas for negativa, reveja o projeto. Minha recomendação é de que as empresas devem investir cada vez mais em gestão de custos em nuvem. Otimizar para obter o máximo de aproveitamento sobre o investimento em nuvem e identificar possíveis desperdícios. Com o dimensionamento real dos insumos, principalmente financeiros, será possível traçar uma estratégia com êxito para uma jornada ascendente em nuvem” – Marcelo Franco, Coordenador de SDM, TAM e FinOps da Dedalus.

É importante ressaltar que o objetivo geral da governança de custos é otimizar os recursos disponíveis para maximizar o investimento em nuvem por meio de 3 etapas. A primeira delas é a Visibilidade, para identificação dos principais ofensores do projeto e o assessment com foco em redução de desperdícios. Com visões de diferentes perspectivas, é possível avaliar diversos cenários considerando o consumo de nuvem por clientes, produtos, projetos, proprietários, ambientes, áreas, funções e centros de custo.

A segunda etapa é a Otimização que têm como objetivo controlar gastos, consumo de recursos operacionais, performance e realizar a gestão de ativos. Todas as ações são realizadas com apoio de ferramentas de integração e automação para controle de performance, auditoria e segurança. E, por último, a Gestão, onde o ambiente é monitorado em formato 24×7 e o cliente tem acesso a métricas de acompanhamento, processos e políticas para manter gestão contínua e proativa de custos. Para isso, é importante contar com empresas especialistas no setor que poderão dar o suporte necessário para qualquer um desses momentos.

Quer saber mais? Baixe nosso e-book sobre Gestão de Custos em Cloud.

Posts mais lidos

O que é DevOps?

Em tecnologia, DevOps é a cultura que aproxima desenvolvedores e operações, ou seja, os times trabalham juntos em um projeto para otimizar a comunicação e favorecer a automação e monitoramento em todas as fases, desde a integração, teste, liberação para implantação ao gerenciamento de infraestrutura.

IA, IoT e Machine Learning impulsionam uso de cloud

Muitas empresas têm encontram na migração de sua infraestrutura física para nuvem ampla oportunidade de gestão de dados, além do diferencial estratégico para desenvolvimento de novos serviços e produtos.

Assine a Newsletter